BLOG - GESTÃO DE RESULTADOS

A Kick Off Consultores assessora profissionais e empresas na gestão e melhoria dos resultados.

Confira nossa seleção de artigos sobre o assunto.

Quais as causas e consequências de quem resiste ao Plano de Negócio?

Por William Juliano * Uma das perguntas mais frequentes que ouço de empreendedores que pensam em montar um novo negócio – seja ele uma bombonière, uma franquia de serviços ou uma tech startup de Internet of Things – é “eu realmente preciso de um plano de negócios? ” E não para por aí. “Vai dar muito trabalho. E eu não sei essas coisas de finanças. Além disso, o plano irá mudar muito depois que eu abrir o negócio. Então, não vou investir o meu tempo pra fazer um documento que terá vida curta. Confio no meu taco, na minha experiência e na minha intuição. Tudo vai dar certo.” Concordo com a colocação. Entretanto, a minha resposta – invariavelmente – também é a mesma: “Um plano de negócios é fundamental para seu negócio funcionar. Você construiria uma casa sem fazer uma planta? Você entraria num avião cujo piloto não sabe que rota vai seguir para o seu destino?” Ah, o Plano de Negócios. Ou o business plan, para os íntimos. Esse desconhecido. O Plano de Negócios é, provavelmente, o melhor investimento que um empreendedor pode fazer antes de montar o seu negócio.  O plano não é garantia de sucesso: mas certamente aumenta, e muito, a probabilidade de sucesso do negócio. Um estudo recente do SEBRAE aponta que 27% das empresas fecham suas portas até o final do 1º ano de atividade. Um dos fatores que mais influencia o índice de mortalidade empresarial é a falta de planejamento prévio. Mas, vamos a uma definição importante: o que é o tal do Plano de Negócios? Plano de negócio é um exercício pré-operacional sobre como o negócio irá funcionar, quanto irá...
Don’t Go It Alone: Create an Advisory Board

Don’t Go It Alone: Create an Advisory Board

An inexpensive, effective way to propel your business forward is with the help of a board of advisers. Here’s how to set one up. by Christine Comaford-Lynch – www.bloomberg.com We can all benefit from advisers—they’re the friends from the trenches who have been on the business battlefield longer than we have. Or they’re friends from a different industry or field who provide a unique perspective. Or they’re seasoned or high-profile executives who lend you credibility, thus helping you secure customers, financing, or a crucial introduction. You need advisers to bounce ideas off, to provide a reality check, to tell you when you’re about to mess up, to confide in when you’re alone at the top. A board of directors has a fiduciary responsibility to the company. They can be liable for mistakes (accounting and otherwise) that a company makes. So it’s tough and expensive to secure board directors, especially since Sarbanes-Oxley. But advisory board members don’t have fiduciary responsibility, and thus cannot be held liable. Hence their compensation is a fraction of what a board director receives.  Further, board directors have an obligation to the company first, and the CEO second. It’s the opposite with advisers—the CEO/”advisee” comes first. Don’t get me wrong—a good adviser is still looking out for the company, but their aim is to steer the advisee in the right direction to best care for the company. Here’s a process for getting and keeping advisers on your team. Remember: Life equals the people that you meet plus what you create with them. Let’s start meeting and creating. 1. Define your advisory board member profiles. This is a...
Consultoria Empresarial – um Plano B saudável

Consultoria Empresarial – um Plano B saudável

Por: Edmundo Fornasari Dólar alto, inflação em crescimento potencial, taxas de juros nas alturas, incertezas políticas, rebaixamento do país nas notas de crédito, bolsas caindo e tantas outras coisas. Hoje em dia, as notícias estão cada vez mais catastróficas para a economia brasileira. E o pior: essa crise nasceu, está crescendo e ainda não tem a data da sua “morte” definida ou até mesmo planejada. E você pergunta a si mesmo: o que eu tenho a ver com isso? A resposta é simples e direta: tudo! Tudo não é nenhuma forma pejorativa de causar um drama sem fundamento, mas sim deixar claro que chegamos num momento de nossas vidas onde é necessário imaginar um Plano B. Muito de nós, executivos de sucesso, estamos sentindo diretamente na pele o corte promovido pelas organizações: reduções salariais, perda de bônus e o mais temido desafio que é se reinventar num cenário totalmente adverso. Não quero aqui falar sobre o aspecto negativo de uma crise. Isso é quase que enxugar o gelo. A proposta é que, antes que o pior aconteça, você possa desenvolver um Plano B. Ser um Consultor Empresarial tem as suas vantagens, como flexibilidade de horário (sim, sabemos que sofremos muito com isso em diversos momentos da vida pessoal), controle da nossa própria agenda, ganho de imagem e aumento de networking, dentre outros pontos. Além disso, você pode ser um Consultor part time, ou para aqueles que já estão disponíveis no mercado, ser um Consultor full time. Mas aí, começamos a ter questionamentos simples, tais como fazer? E depois que voltar a normalidade? Como ganhar clientes, etc? Óbvio que são...